fbpx
Desafio dos imobiliário covid-19

DESAFIOS DO MERCADO IMOBILIÁRIO: COVID-19

Muito se tem falado, nas últimas semanas, acerca das consequências no mercado imobiliário causadas pela Covid-19, tanto na Economia como a nível Social.

O Mercado Imobiliário, que se encontrava numa fase de expansão, congelou da noite para o dia, e agora?! Afinal quais serão as consequências e desafios que teremos de enfrentar nesta crise que ninguém esperava? Que desafios é que o Mercado Imobiliário vai encontrar em modo “pausa”?!

ANTES DE MAIS, UM PEQUENO ENQUADRAMENTO…

Iniciei a minha carreira como Consultora Imobiliária no ano de 2009 e nessa altura vivíamos na chamada “pré-crise”. Entre 2010 e 2013, atravessámos uma recessão económica sem precedentes e o Mercado Imobiliário não era, de todo, excepção. Contudo foi algo que de certa forma já se esperava e tanto os consultores como as empresas de mediação puderam preparar-se para a enfrentar. Ainda assim não deixou de ser um período bastante exigente, onde só os melhores consultores imobiliários resistiam.

Ao contrário de 2009 onde se sabia de antemão que as perspectivas não eram nada animadoras, 2020 previa-se um ano positivo a todos os níveis. O Sector Imobiliário, apesar de alguns sinais de ajuste, estava francamente estável. Assim também a procura por casa própria estava na ordem do dia por oposição ao arrendamento e até os investidores internacionais mantinham interesse no país. Contudo, sem que ninguém estivesse minimamente a contar com este cenário, de repente tudo parou.

O Coronavírus, que no final de 2019 parecia tão letal como longínquo, entrou de rompante na Europa e não tardou a fazer as suas primeiras vítimas. Assim, e com um grande sentido de comunidade que devo enaltecer, os portugueses aderiram aos vários pedidos feitos pelas entidades competentes. E mesmo antes de ser decretado o Estado de Emergência, ficaram em casa.

No entanto, a real dimensão da pandemia não estava a ser visualizada na sua totalidade, e todos pensávamos que em duas semanas tudo passaria. Na verdade, e contrariamente ao que inicialmente se pensava, isso não veio a acontecer e fomos projectados para uma realidade quase cinematográfica.

Neste momento a realidade é esta: a verdadeira dimensão da crise estará directamente relacionada com a duração do lockdown. O que à data de hoje, não conseguimos prever com precisão.

E AGORA?!

Numa primeira abordagem é evidente que o Sector Imobiliário ficou em suspenso e os primeiros dados apenas começam a surgir agora.

De acordo com um artigo do Observador apoiado em dados fornecidos pela Associação de Mediadores Imobiliários “(…) 80% dos negócios em curso caíram. 20% desistiram já com contrato promessa assinado.”.

Do mesmo modo outro artigo do eco.sapo.pt vaticina que o “Imobiliário vai demorar um ano a recuperar do coronavírus.”.

Já o Jornal de Negócios, com base num estudo da Imovendo, afirma que “A procura de imóveis online, que representa mais de 90% do total, já recuou perto de 60% na última semana…”.

Na minha perspectiva, devemos encarar as adversidades com sentido prático em vez de fatalista e encontrar oportunidades em todos os sinais que nos são dados.

Por fim num artigo do site Dinheiro Vivo, pode ler-se que “O mercado abrandou desde o início de março, há visitas canceladas, pedidos de adiamento de contratos e todos prevemos uma suavização nos preços.”. Contudo esta crise não será comparável à de 2008, e isso é já um bom ponto de partida. Todavia no mesmo artigo podemos ainda perceber que o interesse dos investidores no Mercado Imobiliário português, inclusivamente os internacionais, não desapareceu. Estando apenas à espera da normalização das actividades económicas para poderem voltar a negociar.

Já a cerca do mercado dos arrendamentos “O arrefecimento também está a chegar ao setor do arrendamento, mas aqui a queda não é tão abrupta, pelo menos para já. Mesmo assim 40% dos clientes desistiu de arrendar casa.”. Aponta o mesmo artigo já citado do Observador.

QUAL O CAMINHO A SEGUIR?

Na actual conjuntura, creio que os consultores têm, a cima de tudo, de se focar em dois aspectos essenciais se mantêm a intenção de vender e singrar no Sector Imobiliário:

1. Fazer um bom aconselhamento da estratégia de preço gerindo possíveis expectativas irrealistas para o momento que atravessamos;

2. Encontrar novas abordagens e estratégias de Marketing e Comunicação. E como resultado, continuar deste modo a oferecer um serviço eficaz e de excelência a todos os proprietários que lhes confiaram o negócio;

É assim imprescindível que estes dois pontos estejam fortes e alinhados.

Por fim devemos sempre ter em conta que “Coisas boas acontecem a quem espera, as melhores coisas acontecem a quem se levanta e faz!”. É tempo de arregaçar as mangas e trabalhar mais do que nunca. Não podemos esmorecer ou ficar à espera que tudo “normalize”, temos que pegar nas rédeas da nossa actividade e fazer aquilo que melhor sabemos, adaptarmos-nos às exigências do mercado imobiliário e dos clientes.

E QUEM NECESSITA DE VENDER?

Este é o momento de escolher cuidadosamente um bom profissional. Um que acima de tudo prime pela Experiência, Competência e Profissionalismo e que o ajude, disponibilizando todos os seus recursos e know how.

Se até há três semanas a decisão de comprar/vender era tomada com relativa facilidade e rapidez, neste momento assistimos a um mercado imobiliário com medo de arriscar sem saber com o que pode contar no futuro.

Se isto juntarmos um profissional que não se conseguiu adaptar à nova realidade, ou esteja preso aos pressupostos que vigoravam antes da pandemia, é possível que a sua casa ficar demasiado tempo no mercado com uma consequente desvalorização.

Em suma as suas expectativas começarão a ser defraudadas, gerando ansiedade e angústia.

Posto isto, e refletindo sobre uma experiência com mais de 10 anos, creio que se por um lado vão ser tempos exigentes a todos os níveis, por outro, é a altura de exaltar a excelência e o profissionalismo que devem sempre imperar na nossa actividade. É tempo de elevar os standards do serviço, gerindo as expectativas dos clientes de uma forma realista e séria.

Quando tudo passar (e vai passar!) teremos a consciência que, tal como sempre, demos o nosso melhor e estou convicta que iremos colher os frutos de todo o empenho e dedicação depositados durante este tempo que também foi um um divisor de águas, distinguindo os melhores consultores imobiliários.

Obrigado por ter lido este artigo. Fique mais um pouco e navegue pelo nosso Blog, podemos ter outros assuntos do seu interesse.

Publicar um Comentário

You don't have permission to register
× Posso ajudar?