fbpx
Suzana Gil Correia

SER CONSULTOR IMOBILIÁRIO: 1 OU 2 REFLEXÕES

Foi há 10 anos que decidi ingressar no mundo da mediação imobiliária. O percurso como Consultora Imobiliária foi, apesar das flutuações do mercado, sempre linear.  Ao longo deste tempo fui adquirindo ferramentas e experiências que me enriqueceram, tanto como profissional, como pessoa. Ao fim de uma década, conto aqui um pouco da minha história.

No ano de 2009, após um percurso em arquitectura, acabei por chegar a esta industria de uma forma original. É uma história um pouco diferente da maioria, pois o primeiro contacto com esta actividade, foi como cliente de uma agência à qual recorri para mediar o arrendamento de uma casa da qual era proprietária. Desta forma, acabou por ser o consultor que me estava a acompanhar que me convenceu a fazer a experiência. 

Posso dizer que as minhas reservas eram tantas que demorei mais de 6 meses, após a primeira abordagem ao tema, a tomar a decisão de vir “experimentar” ser consultor imobiliário.

Esta decisão, tempos mais tarde, revelou-se uma das mais importantes na minha vida.

OS PRIMEIROS TEMPOS

De facto não foi amor à primeira vista. Por outras palavras, a realidade do sector deixou-me bastante surpreendida, e deparei-me com uma actividade onde bastava “respirar” para se ser consultor imobiliário. Por exemplo, não existiam critérios de selecção de entrada e a formação era, e continua ainda a ser na maioria dos casos, muito deficiente. Infelizmente, e passados todos estes anos, a realidade pouco se alterou.

Foram muitas as histórias que ouvi, e ainda ouço, de más experiências e falta de profissionalismo. De certeza que todos nos lembramos de alguma, seja em nome próprio ou apenas porque a ouvimos contar. Contudo, curiosamente, acabou por ser esta debilidade do sector que me motivou a ficar e a fazer diferente e melhor.

Por outro lado, as casas, os espaços e as pessoas estavam de mãos dadas. De alguma forma havia ainda uma continuidade. Mantinha-se, mesmo que por vias travessas, uma ligação à arquitectura e à vivência dos espaços.

O MAIS IMPORTANTE

Todavia, o que senti como mais importante era mesmo o impacto que o meu trabalho podia ter na vida das pessoas.

De facto, nesta actividade, as pessoas confiam e depositam nas nossas mãos parte dos seus projectos de vida e acabamos, no decorrer do processo, por nos tornar verdadeiros cúmplices na sua concretização.

Da mesma forma, em troca dessa confiança, devemos responder com uma obrigação simples: como consultores imobiliários, dar o nosso melhor e ajudá-los a alcançar, com as melhores condições que, naquele momento, o mercado oferecer. 

Porque há algo que é inegável nesta profissão: enquanto Consultores nós estamos presentes num momento de transição na vida dos que nos procuram. Existe, na esmagadora maioria das vezes, uma  forte e importante motivação na compra e/ou venda de casa. E, como se pode imaginar, a responsabilidade que os clientes depositam em nós, confiando-nos essa fracção das suas vidas, é bastante elevada. 

Por este motivo, todos os dias quando vamos trabalhar devemos pensar em como somos importantes e na responsabilidade da nossa actividade. Uma má condução de um processo de venda pode condicionar, e muito, a vida de uma pessoa ou de uma família. E isto é válido tanto para o bom como para o mau. 

O APARECIMENTO DA KW

Posteriormente, cruzo-me com a KW em 2014 e abracei o projecto desde o início, integrando o grupo de consultores fundadores. Imediatamente senti que tinha encontrado uma empresa que, em tudo, se assemelhava à minha própria visão do negócio e do mercado imobiliário.

Ao mesmo tempo, a KW trazia para o mercado um nível de qualidade de formação, modelos e sistemas de trabalho sem paralelo na concorrência. Logo, se tivesse que descrever a Keller Williams numa única frase seria: é uma empresa que me ajuda a focar no que é essencial e a ser uma melhor versão de mim própria todos os dias.

Por outro lado, é ainda de mencionar um dos pontos mais fortes desta empresa: a sua cultura. Onde a integridade e o compromisso são fomentados, não só no seu país de origem (Estados Unidos da América), como em todas as regiões onde é implementada. A Keller Williams encontra-se sempre na vanguarda do sector imobiliário. Fornecendo as ferramentas necessárias ao sucesso de todos os seus consultores, sempre numa base de “Win-Win”, quer seja na formação, que é constante, quer seja no desenvolvimento de novas ferramentas e abordagens para um melhor desempenho dos consultores. Ser consultor imobiliário na KW é ter à nossas disposição o melhor deste industria.

NO PRESENTE

Resumindo, ser consultor imobiliário é uma profissão exigente em muitos aspectos, mas quando a fazemos de coração, ganhamos uma nova disponibilidade para os outros. Bem como é uma actividade que nos obriga a uma disponibilidade total, muitas vezes em detrimento de alguns aspectos da nossa vida pessoal, o que nem sempre é fácil conjugar.

Nestes 10 anos de actividade muitas pessoas cruzaram o meu caminho e, a sua maioria, ainda têm na memória o meu nome e o meu trabalho, recomendando-o às pessoas que conhecem.

Como resultado, cerca de 80% da minha actividade provém de antigos clientes. Ou seja, negócios repetidos com os mesmos clientes ou de recomendações destes a familiares e amigos.

Isso é algo que me deixa extremamente honrada e orgulhosa. Hoje com confiança posso dizer que esta é a maior evidência da decisão certa que tomei há 10 anos atrás!

Obrigada por ter ligo o meu artigo e ter ficado a conhecer-me um pouco melhor.

Navegue pelo nosso Blog podemos ter outros temas do seu interesse.

You don't have permission to register
×